Extremos da Tolerância Humana

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Instinto de sobrevivência - Dieta Equilibrada

Após 76 dias perdido no mar e comendo apenas carne de peixe, o cérebro gera desejos a outras partes do peixe que contem os nutrientes necessários para a sobrevivência.

O vídeo a seguir foi retirado do canal Discovery Channel. Ele conta a história de sobrevivência de Steve, que após perder seu barco, passou 76 dias perdido no meio do Oceano Atlântico. Sua alimentação era restrita a carne de peixe que é rica em proteínas. No entanto, ela não possui muitas vitaminas e minerais que o corpo humano precisa. O vídeo mostra que Steve sofreu uma mudança radical no seu paladar passando a comer partes do pescado que geralmente descartamos. Esse instinto de sobrevivência faz com que experimentemos qualquer tipo de alimento para que tenhamos uma dieta balanceada.



video





Veja em quais partes do peixe são encontradas as vitaminas e minerais que precisamos:
- Escama: Vitamina B;
- Espinha: Cálcio e Fósforo;
- Olho: Água fresca;
- Fígado: Vitaminas A e B;
- Óleo de fígado: Vitamina D, ômega 3 e aminoácidos;
- Intestino e Estômago: Vitaminas A e D;
- Ovas: Vitaminas C e B.





Marcadores:

posted by Vinícius Alves Bezerra at 18:40 1 comments

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Nossa proposta acerca do tema

Extremos da tolerância humana


O ser humano, assim como qualquer outro ser vivo, possui limites. Limites estes que muitas pessoas alcançam por vontade própria, por profissão ou mesmo por acidente. Ao encontrá-los, muitas vezes, não há mais volta: danos irreversíveis ou tratáveis até certo ponto podem ocorrer. Mas sempre se aprende alguma coisa com eles, pois é dessa forma que há a descoberta de novos tratamentos, novas máquinas e novos modos de viver. Muito do que se aprendeu nos séculos passados só foi possível porque alguém explorou barreiras e estudou-as para melhor as entender, nem sempre com o próprio corpo, mas também com a reação em animais ou plantas.


Neste trabalho, tentamos explorar do comum ao incomum, do predisposto geneticamente ao ocorrido por fatores ambientais ou nutricionais. Ao explorar com certa abrangência o tema, podemos tornar o conhecimento da própria natureza humana mais interessante a um olho que era menos atento às situações em que podemos nos encontrar. Da mesma forma, daremos a consciência àqueles que não respeitam o próprio corpo e o agridem sem saber.


Entre os tópicos apresentados, teremos a explanação das reações corpóreas à altas temperaturas e suas consequências em pessoas que normalmente estão expostas a elas (como bombeiros) que variam de leves a graves danos às várias regiões do corpo, como a córnea do globo ocular. Da mesma forma disporemos o inverso, como as células de um ser humano reagem à baixas temperaturas, dando um enfoque parecido na descrição de casos e consequências.


Além disso discutiremos o metabolismo de pessoas com falta de sono, variando em grau de dia a semana, suas formas de responder à situação e mecanismos que o corpo possui para se proteger disso. Abordaremos casos como insônia crônica e a relação da substância cafeína com o corpo sem descanso.


Em trabalhos anteriores, já foi discutido como uma baixa disponibilidade de água nos afeta. Neste, trabalharemos de outra forma. Pegaremos uma situação incomum, como um naufrágio, e exporemos os efeitos que podem ser ocasionados por uma superexposição do organismo à água , o resultado celular de uma ingestão de água do mar e como bioquimicamente predadores percebem a presença de uma pessoa na água.


Discutiremos também as populares enxaquecas e as dores de queimaduras de segundo e terceiro graus, dando enfoque bioquímico à relação dos hormônios envolvidos no estímulo de dores e alguns neurotransmissores como serotonina, explicando a forma como o corpo reage a dores crônicas e a altas intensidades de dor.

posted by Vinícius Alves Bezerra at 21:40 0 comments